Oracle VM Server – Backup (VMs) – Parte 02

Salve Salve Pessoal!

No post anterior virmos um pouco do processo de backup de máquinas virtuais no Oracle VM e começamos a falar sobre o ovm-bkp e realizamos a sua instalação.

Nesse último post dessa serie de backup do Oracle VM, vamos ver como podemos utilizar o ovm-bkp.

Se não leu os posts anteriores da serie, sugiro que leia, links abaixo:

Oracle VM Server – Backup (Servers)

Oracle VM Server – Backup (Manager)

Oracle VM Server – Backup (VMs) – Parte 01

Para começar vamos ver tudo que é possível fazer com o utilitário.

Entre na pasta /opt/ovm-bkp/bin e execute um ls -l para listar o conteúdo do diretório, o ovm-bkp é composto por vários scripts, cada um tem uma função diferente.

common.sh – não precisa ser executado, contém apenas funções para os demais scripts.

ovm-backup.sh – realiza o backup da máquina virtual.

ovm-delete.sh – deleta um backup especifico de uma máquina virtual.

ovm-listbackup.sh – lista os backups disponiveis de uma máquina virtual.

ovm-preserve.sh – alterar a opção “preserve” para um backup específico da máquina virtual.

ovm-restore.sh – restaura o backup de uma máquina virtual.

ovm-setup-ovmm.sh – configura o ambiente para backup, usado no post anterior.

ovm-setup-vm.sh – configura um arquivo de configuração de backup da máquina virtual.

Vamos entender e trabalhar com cada um dos scripts na seguinte ordem:

1 – ovm-setup-vm.sh

2 – ovm-backup.sh

3 – ovm-listbackup.sh

4 – ovm-delete.sh

5 – ovm-restore.sh

6 – ovm-preserve.sh

OBS: O script ovm-setup-ovmm.sh já falamos no post anterior e o common.sh não precisa ser executado, então não vamos falar deles.

ovm-setup-vm.sh

Como falei anteriormente esse script vai criará um arquivo de configuração, esse arquivo é dedicado para cada máquina virtual com as seguintes informações:

ovmpool: Pool que hospeda a máquina virtual

vmname: nome da máquina virtual

vmuuid: ID da máquina virtual

retenção: retenção de backup para a máquina virtual

d: dias (ex. 8d é para manter uma retenção de 8 dias)

c: count (ex. 4c é para manter uma retenção de 4 cópias)

targetrepo: repositório onde o backup será salvo

O diretório onde esse arquivo ficará salvo é o /opt/ovm-bkp/conf/vm.

Se executarmos o script sem passar nenhum parâmetro será exibido um exemplo de uso do mesmo:

# ./ovm-setup-vm.sh

Então, no meu ambiente tenho uma máquina virtual com o nome LINUX, desejo manter uma retenção dos últimos 4 backups e salvar ela no repositório Backup, executamos o comandos passando os seguintes parâmetros:

./ovm-setup-vm.sh LINUX 4c Backup

O arquivo LINUX-0004fb000006000062597b8a057f5023.conf foi criado no diretório /opt/ovm-bkp/conf/vm/ com os parâmetros especificados, como mostra a imagem abaixo:

É necessário criar um arquivo de configuração para cada máquina virtual que você deseja realizar o backup.

ovm-backup.sh

Como falei anteriormente este é o script que realiza o backup das máquinas virtuais, assim como no script anterior, podemos executa-lo sem passar nenhum parâmetro que será mostrado um exemplo de sua utilização, como mostra a imagem abaixo:

# ./ovm-backup.sh

Existem três tipos de backups possíveis, são:

FULL – cria uma cópia completa e esparsa do arquivo de configuração da máquina virtual e todos os discos.

SNAP – o backup será uma cópia do arquivo de configuração da máquina virtual e um reflink do OCFS2 de todos os discos virtuais, o backup permanecerá no mesmo repositório da máquina virtual de origem.

OVA – o backup será um arquivo OVA criado a partir da máquina virtual.

O último parâmetro [Y/y,N/n] é o “preserve“, permite declarar um backup como “preservado”, ou seja, será ignorado por a política de retenção definida no arquivo de configuração, para deletar esse backup você terá que deletar ele manualmente.

Então para realizar o backup basta executar o script passando o nome da máquina virtual, o tipo de backup e se desejo ou não preservar esse backup, exemplo:

# ./ovm-backup.sh LINUX FULL N
ou
# ./ovm-backup.sh LINUX full n

OBS: Os parâmetros do script não são case sensitives, ou seja, tanto faz serem digitados em maiúsculo ou minúsculo, o nome da máquina virtual deve ser igual ao do ambiente.

Ao final da execução do script, é listados todos os backups realizados, como no nosso caso só fizemos um até o momento, só aparecera ele.

Será criada uma máquina virtual em Unassigned Virtual Machines com o mesmo nome do backup.

Também é criado o arquivo de configuração da máquina virtual no repositório configurado.

E o clone do disco é criado também no repositório configurado.

Anteriormente configurei a minha politica de retenção para as quatro últimas copias, ou seja, sempre vou ter os últimos quatro backups.

A imagem abaixo mostra que temos quatro backups e que nenhum backup foi removido.

Quando executamos um novo backup, ele remove o backup mais antigo deixando apenas os quatro backups configurados no arquivo de configuração de backup, como mostra a imagem abaixo:

OBS: Independente do tipo de backup realizado, a politica de retenção de backup vai obedecer a quantidade estabelecida no arquivo de configuração, ou seja, podemos ter vários tipos de backup mas serão mantidos os quatro, outra coisa que devemos observar é que se um backup é marcado para ser preservado, esse backup não entrará na politica configurada no arquivo de backup, ou seja, sempre teremos mais backup do quê o configurado no arquivo.

Abaixo segue uma imagem que exemplifica tudo que falei:

ovm-listbackup.sh

Este script lista os backups disponíveis, basta passar o nome da máquina virtual como parâmetro.

# ./ovm-listbackup.sh LINUX

ovm-delete.sh

Este script deleta um backup, você só precisa passar como parâmetro no nome do backup.

# ./ovm-delete.sh LINUX-FULL-20180708-2320

ovm-restore.sh

O script restaura o backup de uma máquina virtual, quando executado precisamos passar o nome da máquina virtual como parâmetro.

# ./ovm-restore.sh LINUX

Será exibido um menu para escolhermos qual desejamos restaurar:

Também é exibido um menu perguntando em qual repositório você deseja restaurar:

Depois a máquina virtual é restaurada e adicionado ao pool, como mostra a imagem abaixo:

ovm-preserve.sh

Este script muda o status do “preserve” em uma backup realizado, exemplo, quando listamos os backups realizados, é exibido se esses backups estão ou não marcadas para serem preservados, como mostra a imagem abaixo:

OBS: Como falei anteriormente, quando marcados como YES a política de retenção não se aplicará a ele.

Para mudar o status do preserve, basta executarmos o script passando como parâmetro o nome do backup e a opção desejada.

y – define como YES para preservar

n – denifne como NO para não preservar

# ./ovm-preserve.sh LINUX-FULL-20180708-2315 n

Agora basta listar novamente os backup e veremos que houve a mudança.

Para automatizar o processo de backup podemos usar o CRON. 😉

Pronto, chagamos ao fim dessa serie de post sobre backups do Oracle VM, espero que tenham gostado.

Até a próxima! 😀

Referências

http://www.oracle.com/technetwork/server-storage/vm/ovm-bkp-userguide-v1-4394642.pdf

http://www.oracle.com/technetwork/server-storage/vm/ovm3-backup-recovery-1997244.pdf

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.